Notícias

    Postado em 14 de Dezembro de 2017 às 10h12

    Como funciona o INPC?

    Como é calculado o INPC e o que ele representou na negociação deste ano?

    Sindicom Chapecó Como é calculado o INPC e o que ele representou na negociação deste ano? O Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) é calculado com base na renda de até cinco salários. Esse método...

    O Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) é calculado com base na renda de até cinco salários. Esse método faz com que a variação dos preços seja sentida com maior impacto neste índice.


    Existem alguns grupos que já têm o peso maior dentro do índice, como é o caso dos alimentos. Isso faz com que qualquer variação em produtos como arroz, frutas e leite sejam sentidas com mais força dentro do INPC. Ele é dividido em grupos. O gás de cozinha, por exemplo, que está dentro do grupo de habitação, é um dos itens que pesam mais neste índice.


    O cálculo INPC é feito com dados coletados do primeiro ao último dia de cada mês. No caso da base de cálculo para o reajuste de salário dos trabalhadores e trabalhadoras no comércio, o período para este cálculo é de 1º de setembro de 2016 a 31 de agosto de 2017.


    Os preços obtidos ao final do cálculo do INPC são aqueles cobrados de forma efetiva. São nove grupos das áreas de produtos e serviços: alimentação e bebidas; despesas pessoais; artigos de residência; saúde e cuidados pessoais; comunicação; educação; habitação; transportes e vestuário. Esses grupos são divididos, são consideradas, ao todo, variações nos preços de 465 subitens para a realização do cálculo do INPC.


    Segundo IBGE, o índice foi de 1.73 %. O início das negociações com o patronal ocorre no mês de setembro de cada ano. Neste ano, a diretoria do Sindicom apresentou a pauta aos patrões a primeira rodada de negociação da comissão ocorreu depois do dia 10 de setembro. A demora nas negociações, levando em consideração que cada lado busca seus interesses, acaba prorrogando as rodadas de negociação. Nós, trabalhadores lutamos sempre pelos interesses da categoria. O empregado nunca perdeu reajuste, conforme determina a convenção coletiva.


    Com reajuste de 3.46%, esses trabalhadores tiveram aumento real de 1.73 %. Aqueles que tiveram 3% (menos 1.73% da inflação), tiveram aumento real de 1.27% sobre os salários. Sabemos que não é o reajuste merecido pelos comerciários, mas diante da atual conjuntura econômica do país, o percentual conquistado representa que, mesmo com dificuldades, conseguimos evoluir.


    Para fechar o acordo deste ano, as dificuldades foram grandes. A ‘Deforma Trabalhista’, aprovada pelos deputados e senadores e sancionada pelo presidente golpista foi o principal entrave. A proposta inicial patronal era 1.73% para reajuste de todos salários. Função de Caixa nos dias ausente não recebia. Feriados seriam pagos somente com folga, sem valores e banco de horas 12 meses. Conseguimos reverter muitos dos prejuízos e, mesmo com dificuldades, a luta continua.

    Veja também

    OPINIÃO09/09/16OPINIÃO - Os interesses imperialistas no golpe José Álvaro de Lima Cardoso*    Assim como ocorreu em 1964, entre os principais grupos de interesses no golpe desferido em 2016 contra o Estado brasileiro, um deles é o do império. Os irmãos Koch, por exemplo, proprietários da segunda maior empresa privada dos Estados Unidos, com faturamento anual de US$ 115 bilhões, financiaram grupos que......
    18213012/05/17Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência     A diretoria do Sindicom participa nesta sexta-feira (12/5) da audiência pública sobre a Reforma da Previdência. O ato será realizado na Câmara de Vereadores de Chapecó e inicia as 19hs. O debate é......
    GREVE GERAL 30 DE JUNHO19/06/17Para barrar as reformas, dia 30 é greve geral Em Santa Catarina atividades de esquenta serão realizadas dia 20 de junho e na sexta-feira, dia 30, acontece a greve geral Escrito por: Sílvia Medeiros Dia 30 de junho acontece em todo o país o segundo dia de greve geral......

    Voltar para Notícias